[Alexandre Magno] Vamos começar por Bootstrap

Desde os guias de design, até os padrões de interação, temos a eterna necessidade de definir os padrões e a consistência em uma aplicação web de modo a reutilizar o máximo possível os elementos de design. Se não bastasse isto, o twitter, com o Bootstrap foi além e implementou um framework onde há todos os elementos de um website, seguindo todo o estilo padrão de estilo do twitter, e Open Source! Eles o chamaram de bootstrap.

Quais as vantagens de ter o Bootstrap no início do projeto ou até mesmo usar o bootstrap do twitter?
Parece algo tão óbvio: padronizar todos elementos de design se evolui de um ponto em que a etapa de definição de layout perca cada vez mais peso e num mundo ideal ela nem existiria, pois o desenvolvedor front-end já iria prever com o arquiteto a experiência de uso, pois a biblioteca é suficiente para suprir todas novas funcionalidade da aplicação. Usar o próprio bootstrap do twitter para prototipar é também algo extremamente útil, pois ele é bastante simples, limpo, agnóstico e com todos os recursos de CSS3.

Outra grande vantagens é para projetos novos que segue a mesma consistência visual.

O bootstrap é orgânico, de acordo com novos elementos ele vai crescendo e a tendência é que chegue em um limite. No entanto é necessário ter no mínimo:
•    Elementos do grid
•    Formulários
•    Tipografia
•    Cabeçalhos
•    Listas
•    Tabelas
•    Botões

Como vender a ideia?
Muitas vezes é difícil você conseguir negociar esta etapa. Ela simplesmente é muitas vezes ignorada ou até mesmo iniciada, mas descontinuada e logo depois abandonada. Neste último caso é um sintoma de outro ponto errado, provavelmente não há um padrão e sempre existe um atrito maior quando é necessário definir várias páginas e como um comportamento deve ser em uma determinada interação, como validações de formulário.