[Francisco Souza] Meu ambiente de trabalho em 7 itens

Após ser convocado pelo Jeveaux e pelo Almir M3nd3s a escrever sobre meu ambiente de trabalho, resolvi tirar as teias de aranha do blog, escrever um post sobre o tema e seguir a modinha. Montei uma seleção de ferramentas e “coisas” sem as quais não vivo tanto no meu trabalho na Giran quanto em casa quando estou brincando de programar. Confesso que foi difícil enumerar apenas sete itens, mas vamos lá…

1. Pessoas totalmente sensacionais

Time da Giran

Difícil é combinar uma pose

Esse é o ponto mais importante. Pode parecer blá blá blá e clichezinho de agilista-pseudo-telectual, mas o fato é que eu não estaria apto a desempenhar meu trabalho sem as pessoas com quem trabalho. Os recursosAs pessoas do time da Giran formam o conjunto de gente doida mais incrível com quem já tive o prazer de trabalhar. Estou saindo da Giran, no próximo mês vou para a Globo.com (e isso vai ser assunto de outro post nos próximos dias ;D), e a parte ruim desse enorme salto profissional é deixar a Giran, abandonar geograficamente os grandes amigos que fiz nesse quase um ano de trabalho :)

2. Git e Github

GithubSim, eu coloquei o Git e o Github em primeiro lugar entre as tecnologias. Posso dizer com certeza que o Github é a minha principal rede social, vira e mexe vejo algum projeto bacana e começo seguir, faço fork e to sempre enviando meus commits pra uma ou outra coisa. Também usamos Git aqui na Giran, e espero poder carregar essa incrível ferramenta comigo por qualquer lugar que eu for. Independente do sistema operacional, o Git estará presente. Claro que também uso o Mercurial e o Bitbucket, e tenho que dizer que o Bitbucket está cada vez melhor e mais bonito, mas o Github já faz parte da minha vida.

3. (Mac|G)?Vim

Primeiramente, quero deixar claro que copiei mesmo na cara dura a regex do @m3nd3s. Agora, falando um pouco do Vim, posso descreve-lo de forma bem direta como o editor de texto mais produtivo que eu conheço. VimEu sei, eu sei, pra você o seu editor de texto é o mais produtivo, mas no meu blog é a minha opinião que conta :-P Claro que o meu Vim é turbinado com alguns plugins, snippets e funções. O @jeveaux gosta de implicar comigo dizendo que meu Vim demora mais pra carregar do que o Eclipse. Balela, o Eclipse carrega em 8 segundos e o Vim em 7 segundos e 958 milésimos. A propósito, eu ainda utilizo o Eclipse para trabalhar em projetos Java, por que não encontrei nenhum plugin para imports automáticos no Vim sem transformá-lo numa IDE que fica compilando meus códigos e obtendo informações de execução (como as IDEs pesadonas por aí), então continuo utilizando o Eclipse para trabalhar com Java. E sigo com o Vim para todas as outras coisas: Python, Ruby, XML, HTML, CSS, JavaScript e o que for! :)

4. Python

Sou apaixonado por tecnologia, desenvolvimento de software, agile, TDD, XP, linguagens dinâmicas, etc., etc., etc., mas preciso confessar que tenho um carinho especial pela linguagem de programação Python. É uma das ferramentas mais poderosas que conheço e utilizo, e não Python poweredconsigo imaginar meu cotidiano sem essa linguagem. Aonde quer que eu vá, independente do sistema operacional, eu levo o Vim, o Git e o Python comigo! Não, eu não sou xiita, não vou dizer pra você que a resposta para todos os problemas da sua vida é Python, nem que você deve deixar de usar o que está utilizando para utilizar Python. Não estou nem mesmo dizendo que Python é a melhor linguagem de programação do planeta (mas bem que eu poderia :-P), só quero dizer que a linguagem é incrível e eu não vivo sem ela!

No dia a dia, utilizo Python para aventuranças, testes de conceitos e posts no blog, desenvolvemos o novo site da Giran em Python (usando o Flask), para automatização de tarefas pequenas, no desenvolvimento de projetos open source (Splinter, Lettuce, Flask, Flask-MongoAlchemy, etc.), treinamentos de Django e projetos pessoais.

5. Mac OS X/Linux

Sim, o Mac OS é para moças (pode ficar bravinho e fazer comentário, xiita :-P), mas moças estáveis. Desde que entrei na Giran, tive a experiência de trabalhar com um Macbook Pro, Linux na veia :Duma máquina excelente, mas com um sistema operacional que não **me** agradou muito: apesar da estabilidade, o Finder é um dos piores softwares que já usei na vida, sem falar de outras limitações estranhas e a necessidade de sair procurando um monte de aplicações ali e aqui. Sim, essa crítica é vazia e sem fundamentações, mas entenda: eu uso Mac há quase um ano e minha conclusão é que ainda prefiro Linux. E é por que eu gosto e me sinto mais à vontade com Linux, não por que eu odeio a Apple, o Mac OS ou o Steve Jobs. Pra mim, o Linux é melhor, e ponto final, não há espaço para debates aqui ;)

6. Terminal/Bash

TerminalSim, eu preciso de uma telinha preta (ou roxa, no caso do Ubuntu :P) para digitar comandos. Tanto no Mac OS quanto no Linux eu utilizo o Bash como terminal. Como no caso do Vim, também personalizei o bash com alguns arquivos e essa personalização também está no Github. Desde o vício de digitar ls e git status até a construção de alguns bash scripts e Makefiles onde agrupo meus comandos mais comuns para determinados projetos.

Uso, em geral, o Bash para tarefas de desenvolvimento do dia a dia, e também nas minhas brincadeiras do dia a dia com minha máquina virtual na Linode. Vira e mexe o blog fica fora do ar por que faço alguma “caquinha” no nginx e tudo cai, mas vale o aprendizado, e o bash é o companheiro certo de madrugadas de hackings e momentos que invento de brincar de sysadmin.

7. Algo rabiscável

RabiscoSou viciado em rabiscar coisas. Meus cadernos são totalmente rabiscados, minha apostila de inglês e meus materiais da faculdade parecem cadernos de crianças na creche. Rabisco o teclado do computador, rabisco a carcaça do Macbook Pro, tenho um quadro branco no meu quarto e de vez em quando invento moda de escrever cartas para meus amigos (sim, eu escrevo cartas :-P). Rabisco o scrum board alheio, a tela do meu celular e de vez em quando algumas camisetas e bermudas (sim :P). Enfim, qualquer coisa que parecer rabiscável, eu rabisco. Por isso, *sempre* tenho papel por perto para não rabiscar coisas que parecem rabiscáveis, mas na verdade não são :)

Passando a bola pra frente

Como eu tenho que dar todo segmento à modinha, vou convocar uma turma para escrever sobre os seus respectivos ambientes de trabalho: