[Tiago Motta] Aumento de produtividade por ponto de complexidade

Tenho ouvido ultimamente muitos amigos da área comentando sobre pressão por aumento de produtividade baseada em pontos de complexidade. Isso me deixa bastante preocupado. Embora seja nobre o desejo de aumentar as entregas da área de desenvolvimento, quantificar isso usando os pontos de complexidade das histórias não quer dizer muita coisa.

Contudo antes de simplesmente reclamar contra a pressão, é preciso analisar as possiveis causas de produtividade baixa que possam estimular esse tipo de pressão. Pensando bastante cheguei a três possibilidades, e com elas, possiveis soluções, que seriam mais eficazes do que estimular aumento desse tipo de numero.

1- Não há confiança de que o time esteja trabalhando em seu máximo. Ou seja, o agente gerador de pressão acredita que os integrantes estão fazendo corpo mole ou gastando o dia com amenidades ao invés de se focar na entrega do projeto. A pressão por aumento de pontos de complexidade pode até resolver esse problema temporariamente, mas também pode ser mascarado por integrantes do time que se sentem coagidos a fazer horas extras para cobrir as entregas esperadas. Ou seja, o problema só se resolve mesmo com conversas francas e com uma presença mais ativa do interessado.

2- O time percebendo folga na iteração aproveita para melhorar a qualidade da entrega ainda mais. Esse tipo de preciosismo costuma acontecer com bastante frequência. Muitas vezes o desenvolvedor por ter mais tempo para pensar aproveita para implementar testes e fluxos mais rebuscados evitando bugs que no futuro tomariam o triplo do tempo, e o designer aproveita para criar e rebuscar as interfaces e assim encantar ainda mais o cliente. Neste caso a pressão pelo aumento de entrega de pontos de complexidade apenas estimula a diminuição da qualidade. Ou seja, embora haja um aumento imediato na velocidade, em pouco tempo ela cairá por causa das correções de bugs e dos ajustes visuais.

3- O time é inexperiente ou não conhece a tecnologia adotada. Neste caso pressionar pelo aumento de entrega de pontos de complexidade de nada adianta. De certa forma, com o tempo, naturalmente as entregas serão maiores, ou em muitos casos menores pois o time começará a estimar com menos pontos, demonstrando assim a ineficácia desse numeros para medir produtividade. Para resolver este problema existem diversas opções como, organizar dojos, estimular programação em par, indicar livros e treinamentos, estimular a experimentação com tempo para projetos pessoais.

Todas três possibilidades acima eu vi acontecer de perto nos times em que trabalhei. E quase sempre o problema foi resolvido sem utilizar os pontos de complexidade como parâmetro de medição. E vocês lembram de alguma outra causa de produtividade baixa? Tem idéia de como solucionar? Qual sua opinião sobre o assunto?