[Bruno Mentges de Carvalho] Buscando ser mais produtivo

Onde trabalho, temos uma política de feedback contínuo e pensando neles (os feedbacks que recebi) percebi que precisava melhorar minha produtividade e lutar mais contra uma característica que tenho: a procrastinação. Essa característica é um dos motivos que meu blog tem estado as traças, sem atualização.

Identificado o problema, comecei a pensar sobre tudo o que eu fazia durante o dia, sobre o que precisava ser melhorado para que eu pudesse ter mais performance, mais produtividade e gerar mais valor em menos tempo. A primeira coisa que reparei foi que as ferramentas que eu usava estavam me atrapalhando. Olhei em volta e percebi que um dos meus amigos (Vitor Pellegrino) no trabalho usa um editor de texto não usual como IDE e que com aquele editor ele se mantinha mais focado.

Este editor é o emacs. Vitor Pellegrino, como de costume, ficou empolgado em saber que eu queria aprender sobre o emacs, me enviou um monte de material sobre o emacs e se prontificou a me ajudar no que fosse preciso para que aprendesse mais rápido. Inclusive, faço propaganda aqui de um screencast do peepcode sobre o emacs que é muito bom: Emacs Peepcode.

Depois disso, veio a organização do desktop do Ubuntu. A primeira dica foi o projeto dotfiles do Ryan McGeary no github. Nele, há todos os arquivos que começam com ponto (.), ou dotfiles, do seu home guardados no github com um install.rb para instalar no seu terminal linux. Isso facilita muito ao formatar/trocar de micro pois todas as suas configurações ficam lá. Inclusive todas do emacs também. O meu dotfiles no github fica aqui.

Continuando no desktop, configurei meus desktops virtuais para uma matriz 2×3. No primeiro desktop fica o emacs e um terminal. No segundo, tudo de comunicação: email e gtalk/y!, no terceiro fica tudo que me faz procrastinar: basicamente o google reader, no 4o fica o browser onde testo a aplicação que ta sendo desenvolvida no primeiro desktop, no 5o e 6o alguns terminais rodando os servidores/logs/e qualquer lixo que eu resolva abrir. Denovo, dando o mérito a quem é de direito, isso também foi dica do Vitor Pellegrino.

O próximo passo era gerenciar meu tempo melhor. Ainda não tinha achado nada eficiente para resolver esse problema. É engraçado, quando você fica genuinamente querendo resolver um problema para melhorar sua vida e só aí passa a enxergar as soluções a sua volta. Coincidentemente, o @unclebobmartin twittou outro dia sobre a técnica do tomate (Pomodoro Technique). Por mais engraçado e simples que esta técnica possa parecer, resolvi testar, até porque o Uncle Bob e o Jim Weirich, duas pessoas que admiro, a utilizam. Venho tendo muito sucesso, meus amigos até me perguntam se eu estou dentro de um “pomodoro” quando querem falar comigo.

A técnica do pomodoro consiste basicamente em ter um timer (aqueles de cozinha) setado para 25 minutos, o que ele chama de um Pomodoro, e trabalhar em uma tarefa do seu to-do list. Ao acabar o pomodoro, devo descansar 5 minutos antes de iniciar o próximo. A cada 4 pomodoros, descanso 15 minutos. Entre cada pomodoro é a única hora que posso ir para meu desktop da procrastinação (o terceiro desktop), fazer pausa para ir ao banheiro, encher a garrafa de água, enfim, qualquer coisa não relacionada ao trabalho. Existem mais detalhes sobre a técnica, como por exemplo como registrar os pomodoros (to-do list), etc. Recomendo a leitura do livro no site (é gratuito) a quem interessar.

É claro que todas essas escolhas funcionaram para mim, mas podem não funcionar para todos. Não existe uma única maneira eficiente de melhorar sua produtividade, acredito que cada um deve buscar a sua. O mais importante é tentar melhorar continuamente e ser honesto consigo mesmo, identificando o que realmente pode estar atrapalhando tudo (dica: Geralmente é algo que você gosta muito).

Gostaria aqui de agradecer ao pessoal do meu time por todo o apoio, feedback e toda a ajuda para que eu pudesse identificar e implementar tudo isso, em especial agradeço a: Vitor Pellegrino, Guilherme Cirne, Anselmo Alves e Tiago Motta. Sou fã de todos vocês individualmente !