Posts de September, 2008

[Bruno Mentges de Carvalho] Criando um Product Backlog, parte 1

Sunday, September 14th, 2008

Recentemente um dos nossos clientes internos na globo.com pediu para que nós os ajudássemos a elaborar um product backlog para uma nova versão de seu produto. Eu representando o lado técnico, um product owner, um arquiteto da informação e um designer fomos escolhidos para tal atividade.

Product backlog é um documento de alto nível do projeto. Nele é contido todas as features, wish-lists, etc. que o cliente deseja para o sistema descritas de uma maneira bem abrangente e na linguagem do cliente, que chamamos de “histórias”. Cada história contém também uma estimativa de complexidade e o valor de negócio da mesma para o cliente, para facilitar na priorização.

Um exemplo de uma história é o seguinte: “Para poder ter uma experiência melhor assistindo um vídeo, eu como usuário gostaria de poder assistir o vídeo em tela cheia“.

A primeira etapa foi marcar uma reunião com os envolvidos para ouvir deles o que eles tem hoje, o que os atrapalha, e o que eles querem para resolver seus problemas. Do ponto de vista técnico, que é o que vos apresento, o maior desafio é se ater ao “O QUÊ” ao invés do “COMO”. Ouvir o que eles querem fazer, o que eles precisam, o que os atrapalha, etc. Por vezes me peguei com vontade de perguntar se queriam isso dessa ou daquela forma, e precisei me conter para não tirar o foco da reunião.

Depois dessa reunião nós tivemos uma visão mais clara da necessidade de nossos futuros clientes e resolvemos reunir o time e conversar a respeito, visto que serão eles (e eu) que iremos desenvolver o produto. Essa reunião foi muito produtiva pois levantou diversos pontos que ainda precisavam ser trabalhados.

Já aí temos alguns pontos desse nosso processo:

1. Se reunir com o time do cliente e o cliente e ouvir deles os “o quês
2. Se reunir com o seu time e discutir os pontos levantados
3. Marcar uma reunião com o cliente e o time do cliente para dar este primeiro feedback.

Como podemos ver, a presença do cliente é fundamental. E esse ciclo de reuniões já produz um primeiro feedback. Tivemos uma nova reunião para passar o feedback e atacar os pontos levantados. Tudo isso foi feito em menos de uma semana, o que é o mote das práticas ágeis: ciclos curtos de feedback.

A partir destes 3 pontos já é possível rascunhar um primeiro product backlog. E, como seguimos o scrum e práticas ágeis, isso não é nenhum problema, pois o product backlog é aberto e modificável.

Essa foi a parte 1 do processo de criação do product backlog. Em breve estarei escrevendo o próximo da série, enquanto avançamos com a criação product backlog.

[Bruno Mentges de Carvalho] Criando um Product Backlog, parte 1

Sunday, September 14th, 2008

Recentemente um dos nossos clientes internos na globo.com pediu para que nós os ajudássemos a elaborar um product backlog para uma nova versão de seu produto. Eu representando o lado técnico, um product owner, um arquiteto da informação e um designer fomos escolhidos para tal atividade.

Product backlog é um documento de alto nível do projeto. Nele é contido todas as features, wish-lists, etc. que o cliente deseja para o sistema descritas de uma maneira bem abrangente e na linguagem do cliente, que chamamos de “histórias”. Cada história contém também uma estimativa de complexidade e o valor de negócio da mesma para o cliente, para facilitar na priorização.

Um exemplo de uma história é o seguinte: “Para poder ter uma experiência melhor assistindo um vídeo, eu como usuário gostaria de poder assistir o vídeo em tela cheia“.

A primeira etapa foi marcar uma reunião com os envolvidos para ouvir deles o que eles tem hoje, o que os atrapalha, e o que eles querem para resolver seus problemas. Do ponto de vista técnico, que é o que vos apresento, o maior desafio é se ater ao “O QUÊ” ao invés do “COMO”. Ouvir o que eles querem fazer, o que eles precisam, o que os atrapalha, etc. Por vezes me peguei com vontade de perguntar se queriam isso dessa ou daquela forma, e precisei me conter para não tirar o foco da reunião.

Depois dessa reunião nós tivemos uma visão mais clara da necessidade de nossos futuros clientes e resolvemos reunir o time e conversar a respeito, visto que serão eles (e eu) que iremos desenvolver o produto. Essa reunião foi muito produtiva pois levantou diversos pontos que ainda precisavam ser trabalhados.

Já aí temos alguns pontos desse nosso processo:

1. Se reunir com o time do cliente e o cliente e ouvir deles os “o quês
2. Se reunir com o seu time e discutir os pontos levantados
3. Marcar uma reunião com o cliente e o time do cliente para dar este primeiro feedback.

Como podemos ver, a presença do cliente é fundamental. E esse ciclo de reuniões já produz um primeiro feedback. Tivemos uma nova reunião para passar o feedback e atacar os pontos levantados. Tudo isso foi feito em menos de uma semana, o que é o mote das práticas ágeis: ciclos curtos de feedback.

A partir destes 3 pontos já é possível rascunhar um primeiro product backlog. E, como seguimos o scrum e práticas ágeis, isso não é nenhum problema, pois o product backlog é aberto e modificável.

Essa foi a parte 1 do processo de criação do product backlog. Em breve estarei escrevendo o próximo da série, enquanto avançamos com a criação product backlog.

[Christiane Melcher] Mudando o template

Friday, September 12th, 2008

Esse blog foi criado há séculos e nada até agora…

Dessa vez sai!!

Aguardem post de inauguração. Amazônia,  claro :)

bjs,

Chris

[Christiane Melcher] Mudando o template

Friday, September 12th, 2008

Esse blog foi criado há séculos e nada até agora…

Dessa vez sai!!

Aguardem post de inauguração. Amazônia,  claro :)

bjs,

Chris

[Cainã Nunes] II designers – Do Design Gráfico ao Design Digital

Monday, September 8th, 2008

Hello World.

Escrevo este post de estréia para comunicar que estarei participando do II designers na próxima terça-feira, dia 16/09.

Abaixo o release do evento:

II designers

O II designers – VII Festival de Design é um evento acadêmico que acontece entre os dias 15 e 18 de setembro de 2008, no auditório do ICH da Universidade Federal de Pelotas. O evento é organizado pelo PET – Artes Visuais da UFPEL e conta com patrocínio master da agência Conrad Caine Media Applications, da Alemanha, patrocínio da agência Insight Design, de Pelotas, e do apoio da Editora Rosari e dos Hotéis Manta.

Com a temática “do Design Gráfico ao Design Gigital”, o designers promove a discussão de aspectos entre as duas áreas, por meio do diálogo com profissionais renomados no mercado. O evento contará com palestras, oficinas e exposições, além do tradicional Festival de Design, que descobre novos talentos locais, e o Festival de Cinema, organizado pelo curso de Cinema e Animação da UFPEL.

O designers valoriza o design gaúcho e enfatiza a qualidade dos profissionais da área atuantes no Rio Grande do Sul. Por isso, o evento foi batizado com este nome, que faz uma alusão ao seu propósito ao mesmo tempo em que referencia o público gaúcho. Todos os palestrantes convidados são nascidos no Estado e possuem um trabalho relevante na área. Entre eles: Cainã Nunes, da globo.com; Marcos Nähr, da DELL; Prof. Dr. Luis Vidal Negreiros, da Uniritter; Pablo de La Rocha, da agência w3Haus; e Isabela Rodrigues, da agência Santa Motion.

Para mais detalhes sobre o evento, basta acessar o site www.ufpel.edu.br/iad/designers. As inscrições estão sendo realizadas no IAD/UFPel, ao valor de R$ 15,00 (com direito a uma oficina), desde 8 de setembro, podendo ser efetuadas também nos dias do evento. As vagas são limitadas. O IAD fica na rua Alberto Rosa, 62.

[Guilherme Cirne] Comando do ubiquity para busca no Globo Vídeos

Monday, September 8th, 2008

Está no ar um comando do ubiquity para busca no Globo Vídeos.

Para instalá-lo, primeiro é preciso ter o Firefox 3 com a extensão do ubiquity instalada. Depois, basta entrar na home do Globo Vídeos. Uma barra aparecerá no topo perguntando se você quer instalar o comando. É só selecionar a opção para instalar e depois confirmar na página de aviso que aparecerá.

Para usá-lo, é só invocar o ubiquity e digitar globovideos [palavra(s) a serem buscada(s)]. Uma nova aba será aberta com o resultado da busca no Globo Vídeos.

Esse tipo de comando é apenas o começo do que se pretende fazer com o ubiquity no futuro. Certamente é um conceito inovador que promete bastante.

[Tiago Peczenyj] Chrome: o browser da google

Tuesday, September 2nd, 2008
As noticias apareceram em todas os sites especializados: o google estaria lançando hoje uma novidade chamada chrome, um browser baseado em Webkit disponivel por enquanto para Windows XP e Vista.

Até um gibi foi disponibilizado, então esperando até as 4 PM consegui fazer o download em uma maquina virtual e pude testa-lo um pouco.

A performance parece ser muito boa, apesar da virtualização. Não observei travamentos ou comportamentos estranhos (como os que ocorrem no Safari para Windows). O visual e as tabs são realmente práticas, com muita área para ver o site e icones intuitivos.

primeira_impressao

Bem interessante é o gerenciador de tarefas, (Controlar Pagina Atual > Desenvolvedor) onde podemos ver o consumo de cpu, memória e rede de cada aba (que rodam como processos independentes).

gerenciador_tarefas

E também temos acesso a informações de memória bem detalhadas (infelizmente estáticas, gostaria que houvesse algo como o top do unix, quem sabe no futuro…).
chrome_memory]

O histórico é limpo e muito bonito

chrome_historico

E um recurso que eu gostei bastante do novo Opera, mas com uma nova roupagem: ao abrir uma nova aba temos uma pagina com os favoritos e snapshots das paginas.

chrome_abas

Por fim, basta instalar com um clique o plugin flash para navegar no Youtube ou Globo Videos

chrome_globo_videos

Outras coisas que percebi: a pergunta para salvar as senhas dos sites é muito mais discreta, aparecendo acima do site após o login (não é aquele alert que surge do nada). O Gmail parece ter uma boa performance e o gtalk funcionou sem maiores problemas. Com 6 abas o consumo de memória foi de 144408k - e ainda podemos comparar com outros browsers abertos!

Sinto falta de usar ‘/’ para fazer pesquisas na pagina (quem usa Vim entende disso) mas o Ctrl + F funciona bem. Para configurar o tamanho da fonte basta usar Ctrl + (mais) e Ctrl - (menos) para alterar o tamanho do texto, Ctrl 0 para voltar ao normal. E, a mais interessante, não há necessidade de um campo de texto para pesquisas rapidas ao google ou outro buscador: basta digitar os termos no lugar da url (bem intuitivo, aliás). O download de algum arquivo é simples e bonito também.

Bom, até então eu gostei, só aguardo a versão para Linux e quero por as mãos no tão falado codigo fonte logo-logo :)

Link para download: http://gears.google.com/chrome

Edit: o Chrome tem o mesmo problema que o Firefox tinha para gerenciar senhas: ele mostra a senha sem pudor algum:

Senhas

Poderia ter um recurso mais seguro como o da senha mestra do Firefox, parece que não pensaram (tanto) na nossa privacidade. Quem sabe no futuro isso não será corrigido?

Comments

Guilherme Garnier
Fala Pac. Também estou achando o Chrome bem legal. Mas a maioria desses detalhes que você citou já existem no Firefox. Ex: a pergunta pra salvar senhas no topo da tela, os atalhos para pesquisar e para mudar o tamanho do texto, pesquisa no google digitando direto na URL. E tem um plugin pra mostrar as snapshots como no Opera.
Lauro Cesar
Aqui tá rápido e estável. Ah e gastando até menos memória que o Firefox (se bem, que essa estória de que cada tab é um processo às vezes engana a gente…)
Enfim, parece muito bom mesmo!
Tiago Peczenyj
Valeu, Wagner, estou lutando para baixar os fontes!

Não lembrava que a memorização da senha tinha mudado no FF3, hehe.
leoburla
Também achei 144Mb bem pesado… Mas vou dar uma olhada na parada. Parece ser muito boa! Um abraço.
Tiago Albineli Motta
144 megas pra 6 abas é um pouco salgado heim. Que abas você foram essas?
Wagner Mezaroba
Legal, estou baixando o fonte pra Linux por aqui:

http://dev.chromium.org/developers/how-tos/build-instructions-linux#TOC-Getting-the-code

Tá bem lento, mas passou da primeira etapa.

Em relação a memorização de senha, no FF 3 não abre nenhuma janela tb. Só aparece uma barra encima (que não interrompe o fluxo de navegação).


Falou!